Entrar
Assinatura digital tem segurança e validade jurídica

Assinatura digital tem segurança e validade jurídica

22/10/2020 | Gabriela Vasconcelos

Cada vez mais organizações estão aderindo à transformação digital, inclusive na hora de assinar documentos. Afinal, a ação traz praticidade e proporciona redução de custos. Em momentos de pandemia, ainda garante a integridade física dos assinantes. Contudo, para quem não está acostumado com essa inovação, é natural surgir o pensamento: “mas, e a segurança?”. Saiba mais!

Processo seguro

Para algumas pessoas, o processo físico de rubrica de documentos pode parecer mais seguro, visto ser mais burocrático. Contudo, demora e muitas etapas nem sempre são sinônimo de proteção. Ao precisar enviar um documento por portador, por exemplo, o transporte está sujeito a interferências, como furtos. Além disso, arquivos físicos demandam espaço e podem ser perdidos em caso de incêndios ou corrosão natural.

O processo digital, por outro lado, possui fases de garantia para validar a identidade dos assinantes. Esse método pode variar de acordo com a necessidade da empresa. No formato Ágil, por exemplo, há confirmação dos dados pessoais e token temporário. 

“Já no Autenticado, além das duas primeiras etapas, acontece a solicitação de uma selfie ao lado de um documento oficial com foto. Posteriormente, é solicitado o envio de imagem frente e verso da identidade escolhida”, explica Paula Sino, gerente da Assine Bem. Segundo a gestora, trata-se de uma camada extra de cuidado, validada por uma equipe humana da plataforma. “O processo é bem parecido com o utilizado pelos bancos digitais”, acrescenta.

Além disso, a criptografia ‘tranca’ o documento na hora da rubrica, portanto, ele não poderá mais ser editado. Com o armazenamento em nuvem, não é preciso se preocupar com acidentes, deterioração, insetos ou mesmo perda e roubo do material físico.

Validade jurídica

A Assinatura Digital tem validade jurídica no Brasil desde 2001. O procedimento é uma ótima opção para momentos de distanciamento social, pois protege as partes assinantes. Assim, é um aliado das corporações e trabalhadores. “A MP 2.200-2/2001 trouxe legalidade aos processos validados de forma on-line. Com isso, as corporações podem formalizar seus contratos e vendas com plataformas digitais tranquilamente”, finaliza Paula. 

Assim, os recursos tecnológicos são uma saída para simplificar a vida dos clientes e empresas. Além disso, diminuem despesas operacionais, reduzem a burocracia e facilitam a manutenção. Em tempos de Covid-19, o valor da inovação se mostrou ainda maior. Teste agora mesmo e surpreenda-se!